Resenha do filme: Insurgente

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016
Oi gente,

A resenha da vez é do filme Insurgente. Eu amei o filme Divergente (a resenha está aqui) e estava muito curiosa para assistir a continuação que é baseada na trilogia de mesmo nome. E não me decepcionei! Lembrando que eu não li os livros, portanto a minha opinião se baseia apenas no filme, já que não posso fazer uma comparação entre eles.



Sinopse: Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) agora são fugitivos e procurados por Jeanine Matthews (Kate Winslet), líder da Erudição. Em busca de respostas e assombrados por prévias escolhas, o casal enfrentará inimagináveis desafios enquanto tentam descobrir a verdade sobre o mundo em que vivem.

Só para relembrar, a história se passa em Chicago numa época futura. A cidade é toda protegida por enormes cercas de ferro para que não ocorra invasões das regiões ao redor que foram destruídas. Dentro da cidade, os habitantes são divididos em 5 facções para que se manter a ordem e a paz. São elas: Abnegação, Franqueza, Amizade, Erudição e Audácia. Cada facção é encarregada de um setor da sociedade, por exemplo, a Abnegação cuida da parte política e a Audácia cuida da segurança.



O filme começa dando uma sequencia ao final de Divergente, já que Tris, Quatro, Peter e Caleb conseguem fugir de Jeanine e partem para longe. Agora que são considerados fugitivos em todo o distrito, eles estão escondidos na facção Amizade, pois procuram um refúgio temporário. Num certo dia, os guardas da líder da facção Erudição, Jeanine, aparecem na facção Amizade procurando por divergentes, obrigando Caleb, Tris e Quatro a fugirem novamente. Peter decide se virar contra os amigos e passa para o lado de Jeanine.

Tris, Quatro e Caleb vivem várias aventuras nessa fuga, mas Quatro descobrirá um segredo da sua família, junto com os sem facção, que será essencial na luta contra Jeanine. Caleb decide parar de fugir e os abandona, pois acha que não nasceu para lutar e quer ser útil de outra forma. Fiquei com muita raiva de Caleb, já que ele tem ações muito contraditórias e contra a irmã.



Tris e Quatro passam a metade do filme fugindo, se escondendo em outras facções e lutando contra os guardas. Eles precisam de esquivar dos perigos a todo momento e enfrentar os medos continuamente. Jeanine tem um plano para acabar com todos os divergentes, já que tem certeza que eles são o motivo da ruína da cidade. Mas para isso, precisa abrir uma caixa especial que foi encontrada sob proteção dos pais de Tris.  

Jeanine acredita que a caixa contém segredos importantes e não medirá esforços para abri-la. Entretanto, a caixa só será aberta por um divergente poderoso e ela está atrás desse divergente custe o que custar. Tris pode ser a divergente escolhida e não quer mais arriscar a vida de seus amigos, por isso terá que decidir se se candidata de livre e espontânea vontade para as simulações.  Ela que saber o que tem dentro da caixa e o motivo de seus pais terem a guardado arriscando suas vidas. O conteúdo da caixa será essencial para o futuro dos habitantes da cidade.


Achei que o filme começa meio lento e chatinho porque eles só ficam fugindo, mas depois de um tempo, fica eletrizante e termina de forma sensacional. Fiquei louca para saber a continuação da história. Tris muda de aparência logo no início e enxergamos nela uma verdadeira lutadora. Como Tris não consegue se perdoar pelas mortes dos pais e do amigo Will, ela fica se martirizando diariamente com o passado.

Quatro terá que enfrentar fantasmas do passado e fica ao lado de Tris a todo momento. Eles formam um casal perfeito. A atuação de Shailene Woodley (Tris) e Theo James (Quatro) continua ótima e envolvente. Eles possuem bastante química e carisma. Ansel Elgort (Caleb) aparece um pouco mais nesse filme, mas não me simpatizei com o personagem.



As cenas de ação e das simulações são ágeis, rápidas e de tirar o fôlego. Tris é muito corajosa e enfrenta Jeanine de frente, apesar de odiar ser uma divergente. Tris arrisca a própria vida para proteger outros divergente e fará de tudo para acabar com o governo doentio de Jeanine.

O filme fala muito sobre família, lealdade, perdão, companheirismo e amor. Apesar de ser uma ficção, trás elementos importantes para nossa vida e com certeza, vou levar várias lições comigo. A fotografia, os efeitos especiais e a trilha sonora estão fantásticas. Eu amei o filme e já estou om vontade de revê-lo. Recomendo para fãs de distopias e para amantes da série Divergente. <3



Um comentário:

  1. Oiee!!!
    Adorei seu blog!!!
    Sabe, por mais que eu ame livros e filmes, dessa saga eu nunca li nem assisti. Várias pessoas que conheço gostaram muito dos filmes...
    Mas sei lá por qual motivo não tive interesse...kkkkkkkkk Quem sabe eu goste...^^
    bjoooos

    http://diariodalulu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog.
Deixe seu link para que eu possa retribuir.
Obrigada e volte sempre :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...