Resenha do livro: Qualquer Outro Lugar de A.G. Howard

sábado, 20 de agosto de 2016





  
                Título original: Ensnared
                Editora Novo Conceito
                Literatura Estrangeira/Ficção/Fantasia
                Número de páginas: 415


Sinopse: “Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo. Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha. Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração. E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre.”


Atenção! Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores


Qualquer Outro Lugar é o desfecho arrebatador da fantástica trilogia Splintered. Quem leu minha resenha do volume anterior sabe que minhas expectativas para esse livro estavam lá em cima. Confesso que elas foram superadas, e muito.

A história começa exatamente onde Atrás do Espelho terminou, com Alyssa internada no manicômio. Essa foi a única saída que ela encontrou para não ser acusada de assassinar sua mãe e Jeb, que sumiram. Allie sabe para onde eles foram, mas ninguém acreditaria se ela contasse, já que sua mãe acabou ficando presa no País das Maravilhas e Jeb – juntamente com Morfeu – acabaram indo parar em Qualquer Outro Lugar, uma terra perigosa, em que não é permitido o uso de magia sem que esta traga consequências, como mutações, aos seres.

Agora, ela precisa encontrar um meio de tirar seus dois amores desse lugar terrível, resgatar sua mãe e restaurar o País das Maravilhas. Para isso, Alyssa resolve mostrar a seu pai memórias esquecidas que o ligam diretamente a esse reino fantástico e, principalmente, que o façam perceber o quanto sua esposa abdicou para viver o amor deles.

Com as memórias recobradas, Thomas torna-se uma peça fundamental nessa jornada maluca. Aproveitando a visita ao Trem das Memórias, Al vislumbra as lembranças que a Vermelha deliberadamente resolveu se esquecer. Ela espera que essas memórias possam servir de arma contra a Vermelha em uma batalha final.

“Talvez, ao me aproximar do meu lado sombrio, eu tenha lembrado à Vermelha que as memórias são uma parte de mim agora, não importa a distância que eu crie entre nós. Afinal, a Vermelha já fez parte do meu corpo uma vez. E ela será, para sempre, uma parte do meu sangue.” (pág. 48)

Quando Alyssa e Thomas conseguem, com muita astúcia, adentrar em Qualquer Outro Lugar, a história começa a pegar fogo. Morfeu é o primeiro que ela encontra e já a previne de que Jeb não é mais o mesmo. Isso porque ele parece ressentido e magoado pelas escolhas feitas por ela. Ela fica receosa em acreditar em Morfeu, devido ao seu histórico de mentiras e manipulações, porém, ao finalmente encontrar Jeb, ela vê que Morfeu não mentiu. Talvez ele até tenha suavizado os fatos.

Em um mundo bizarro e maldoso e com um Jeb irreconhecível e raivoso, Alyssa sente-se, mais uma vez, culpada por tudo. A tarefa de resgatar os dois para poderem ir salvar sua mãe e o País das Maravilhas começa a parecer quase impossível, visto que Jeb não quer sair daquele lugar e ela jamais irá deixá-lo para trás, pois, apesar de todas as suas dúvidas, ela sabe que ainda o ama.

Para deixar tudo pior, a Vermelha (que também está em Qualquer Outro Lugar) está no corpo da Copas – outra bruxa má, diga-se de passagem. Agora, os desejos insanos das duas se complementam e sobrepõem. Mas a Vermelha não está satisfeita com essa situação, afinal ela quer destruir Alyssa e o País das Maravilhas. E, agora que Al foi ao seu encontro, ela dificilmente vai deixá-la sair assim tão fácil.

Como sempre, vou reservar alguns parágrafos para o triângulo amoroso. Vocês bem sabem que eu sempre torci pelo Jeb, mas esse livro quase me fez mudar de opinião. Quase. Fiquei com muita raiva dele no começo, contudo, quando descobri o real motivo pelo qual ele estava se sentindo com raiva e que, é claro, tinha participação do manipulador Morfeu nisso tudo, eu voltei a torcer por ele. Mas confesso que, nesse livro, até o Mariposão conseguiu me conquistar...

Sabemos que cada lado da Alyssa anseia por um deles. O lado intraterreno, sombrio e insano ama Morfeu e o lado humano, sensível e inseguro ama desesperadamente Jeb. Será possível escolher apenas um? E, caso a escolha seja feita, o que isso pode significar para os dois reinos (o humano e o mágico)? E para o coração de Alyssa? Será que a escolha por apenas um dos lados de seu coração não acabará por matar o outro? 

Mas as respostas a nenhuma dessas perguntas será irrelevante caso Alyssa não seja capaz de derrotar a Vermelha, salvar sua mãe e restaurar o País das Maravilhas. E isso não será nada fácil.

A primorosa narrativa criada por Howard está, assim como nos outros livros, em primeira pessoa, na voz de Alyssa. A diagramação continua perfeita. E a capa? Apaixonante. Dessa vez, ela retrata Jeb, com toda a beleza daqueles lindos olhos verdes (<3). Só tem uma coisinha que eu não gostei: colocaram um número 3 na lateral do livro, sendo que nos volumes anteriores não há nenhum número. Na minha humilde opinião, podiam ter deixado sem, assim como nos outros volumes. Favoritado!

Obs.: Sei que a Novo Conceito já publicou que esse é o último volume da série, mas li na internet rumores de um quarto livro. Até o momento, somente a capa foi liberada, a sinopse continua um mistério. Espero que seja verdade, pois ainda não me sinto psicológica e emocionalmente preparada para dizer adeus a essa série apaixonante.




Gabriele Sachinski

Resenha do livro: Sem Filtro de Marcela Tavares

terça-feira, 16 de agosto de 2016




                 Editora Novo Conceito
                 Literatura nacional
                 Número de páginas: 144



Sinopse: A atriz Marcela Tavares não pediu para ser uma das vozes mais ouvidas da internet. Ela não entrou na fila dos youtubers, não foi lançada por algum famoso e nem fez promessa para conseguir o sucesso a todo custo. Ela apenas ligou a câmera, falou com liberdade e muito bom humor o que vinha à cabeça, e, em menos de seis meses, sua página no Facebook já era uma das mais acessadas da internet brasileira. O quadro “;Marcela Sem Filtro”;, conhecido por pessoas de todas as idades e classes sociais, tornou-se um grito de longo alcance, representando a voz de muitos brasileiros e até mesmo espectadores de outras nacionalidades. E agora, com mais humor do que nunca, no livro que está em suas mãos. Numa época em que dizer o que se pensa torna-se quase um crime inafiançável, a pequena genial, armada apenas com um celular e grandes olhos verdes, faz a cada semana uma verdadeira revolução nas redes sociais.


Marcela Tavares é uma atriz e facebooker muito conhecida na internet brasileira e tenho certeza que você já viu algum vídeo dela na sua timeline. Ela é reconhecida pelo seu modo de falar direto, sem papas na língua e cheio de personalidade, aliás, ela trata de assuntos polêmicos com a mesma naturalidade que falamos de assuntos comuns. Seu sucesso foi meteórico exatamente por falar o que a população tem medo ou receio de dizer.

Ela tem como marca registrada seus grandes olhos verdes, cabelos loiros e sua baixa estatura. Além disso, ela é desbocada e fala INFERNO e palavrões em todos os seus vídeos. A grande parte dos haters não aprovam esse seu jeito de se expressar e é claro que uma enxurrada de pessoas não gostam dela, já que não dá para agradar a todos.

Seus 2 milhões de fãs no facebook comprovam que seu jeito escrachado é um diferencial nos dias de hoje e que sua voz é ouvida pelos quatro cantos do mundo. Como tudo que faz sucesso, ela recebe muitas críticas negativas, porém consegue lidar com elas de um modo positivo. Eu, particularmente, gosto dos seus vídeos e de seu jeito de ser porque assim como ela, fico revoltada com a situação do Brasil.

Em seu livro "Sem Filtro", nós podemos conhecê-la melhor. Ela divide com o leitor passagens importantes de sua vida: como ela viralizou no facebook; se aventurou no youtube; sua vida de atriz; ela compartilha suas particularidades pessoais e como é a convivência com os haters; a sensação de ser conhecida pelo mundo; sua relação com os fãs; explica sobre seus vídeos polêmicos; sua relação com o stand up comedy; entre outros.

O livro é leve e ótimo para ser lido em momentos de relaxamento, já que não tem a pretensão de ser um livro complexo e nem com grandes reflexões. A Marcela tem uma personalidade forte e uma história interessante porque apesar de vivermos numa época que é possível ter a profissão de influenciador digital, ela não é mais uma que produz conteúdos tolos e sem uma mensagem por trás de sua fala. Ela busca que seus leitores questionem a realidade do Brasil e não fiquem conformados com os problemas que vivemos.

Seu ponto chave nos vídeos é ser ela mesma, sem nenhuma super produção, já que o destaque fica para os assuntos que ela discorre nas gravações. Quantas pessoas tem coragem de dar a cara a tapa nos dias de hoje? Pouquíssimas, já que o medo de repreensão ou de não ser patrocinado financeiramente é maior.

A narrativa do livro está em primeira pessoa por Marcela e é bem dinâmica. Os capítulos são curtos fazendo com que a leitura seja bem rápida. A diagramação é caprichada com muitas fotos, desenhos e detalhes diferentes. As páginas são amareladas e a capa chama a atenção. Recomendo para os fãs da Marcela ou para quem tem curiosidade de conhecê-la melhor.





Autora parceira: Greice Martinelli

quarta-feira, 10 de agosto de 2016
Oi gente,

É com muito prazer que apresento-lhes a nova parceira do blog: Greice Martinelli, autora do livro "Os Feiticeiros da Luz". Vamos conhecê-la!




A autora



Greice Martinelli mora em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, e tem 36 anos. 

"Ainda desconfiada de que pode ser uma bruxa remanescente dos tempos antigos em pleno século XXI, Greice divide o seu tempo entre a atuação como Perita Criminal e o trabalho para o serviço secreto, quando se aventura em pesquisas sobre mitos, lendas e seres ocultos aos olhos comuns. Bruxas, vampiros, anjos, unicórnios, fadas e dragões fazem parte do seu dia a dia. Mesmo sendo bióloga e paleontóloga por formação, não pôde ignorar o chamado da escrita, hoje em dia considerada como uma de suas mais importantes missões."




A obra



O ano é 2010. Ninguém sabe como a guerra entre as linhagens bruxas começou, embora a dor causada por ela pareça não ter fim. Alexis Lancaster está prestes a descobrir que apenas a morte será capaz de libertá-la. Se não fosse por seu irmão gêmeo, Tristan, e pelo estranho misterioso de olhos azul-acinzentados que não saem de sua cabeça, ela estaria ainda mais perto de compreender a verdade dessa sentença. Quando uma descoberta arqueológica nas planícies de Wiltshire traz antigos segredos à tona, tudo em que acreditavam está prestes a mudar. O destino leva o Dr. Philip Blair, um jovem e promissor arqueólogo irlandês, a Hallowood, uma tranquila cidade universitária do sudoeste da Inglaterra, onde a realidade e a fantasia começam a se mesclar. A garota que habita seus sonhos, literalmente, desde que é incapaz de lembrar, é real. Mas, com o despertar de um antigo e poderoso inimigo, eles também descobrirão, muito em breve, que nem sempre almas gêmeas estão destinadas a ficar juntas e que o futuro da humanidade pode estar em suas mãos e nas daqueles contra quem sempre lutaram.



Contatos


Resenha do livro: Atrás do Espelho de A.G. Howard

terça-feira, 2 de agosto de 2016




           Título original: Unhinged
           Editora Novo Conceito
           Literatura Estrangeira/Ficção/Fantasia
           Número de páginas: 396



Sinopse: “Em O lado mais sombrio, a releitura dark de Alice no País das Maravilhas, Alyssa Gardner foi coroada Rainha, mas acabou preferindo deixar seus afazeres reais para trás e viver no mundo dos humanos. Durante um ano, ela tentou voltar a ser a Alyssa de antes, com seu namorado, Jeb, sua mãe, que voltou para casa, seus amigos, o baile de formatura e a promessa de ter um futuro em Londres. No entanto, Morfeu, o intraterreno sedutor e manipulador que povoa os sonhos de Alyssa, não permitirá que ela despreze o seu legado. O mesmo vale para o País das Maravilhas, que parece não ter superado o abandono. Alyssa se vê dividida entre dois mundos: Jeb e sua vida como humana... e a loucura inebriante do mundo de Morfeu. Quando o reino delirante começa a invadir sua “vida real”, Alyssa precisa encontrar uma forma de manter o equilíbrio entre as duas dimensões – ou perder tudo aquilo que mais ama.”

Atenção! Essa resenha contém spoilers do livro O lado mais sombrio


Atrás do Espelho é o segundo volume da trilogia Splintered, a continuação apaixonante de O lado mais sombrio. A história se passa quase um ano depois do desfecho do primeiro livro, quando Alyssa deixou como sua substituta no trono do País das maravilhas a Rainha Marfim e voltou para o mundo humano, com Jeb – que agora é seu namorado. Mas é óbvio que o tempo que ela passou em Wonderland deixou marcas em Al...

Além do romance, sua mãe recebeu alta do sanatório e ela pôde, enfim, ter a relação mãe e filha que sempre quis e, é claro, desvendar alguns mistérios do passado das mulheres da família Liddell. Mas, como sempre, nem tudo são flores. Jeb parece meio distante por causa do sucesso de suas obras de arte. Para piorar, Morfeu volta a atormentar seus sonhos. Ah, mas quem dera que ele ficasse apenas nos sonhos... Morfeu resolve tomar posse do corpo de um rapaz e se matricula na escola de Alyssa como um aluno de intercâmbio. Agora, com Jeb cada vez mais distante e Morfeu cada vez mais perto, todas as questões que Alyssa acreditava ter deixado para trás voltam à tona.

Morfeu, que é quem recebe o maior enfoque nesse livro, relata toda a decadência que o País das Maravilhas vem sofrendo desde que Alyssa voltou para o mundo real. Mas ela não está disposta a dar ouvidos a ele e deixar tudo o que mais ama aqui para salvar o mundo intraterreno. Mas, como diz o ditado, se Maomé (ou Alyssa) não vai à montanha (nesse caso, à Wonderland), a montanha vem até Maomé. Resumindo, os seres do País das Maravilhas começam a emergir no mundo real e Alyssa vê suas duas realidades se mesclando de uma forma que ela não consegue controlar.

Para coroar toda essa confusão, a Vermelha não foi destruída por Morfeu, como acreditávamos no fim do volume anterior. Pelo contrário, ela conseguiu fugir e habitar em outro ‘corpo’. Agora, ela está atrás de Alyssa para acertar algumas contas e reaver seu trono perdido. As únicas armas que nossa protagonista tem contra a vilã são seus mosaicos, que agora são feitos com pedaços de vidro e seu sangue mágico, revelando cenas de uma batalha que parece cada vez mais inevitável.

“Eu sou louca, e aceito isso. A loucura faz parte do meu legado. A parte que me levou ao País das Maravilhas e me valeu a coroa. A parte que me levará a enfrentar a Vermelha uma última vez, até que reste só uma de nós.” (pág. 392)

Alyssa novamente fica dividida entre a sanidade e a loucura, entre Jeb e Morfeu, entre o mundo real e o intraterreno. Mas um lado começa a prevalecer, afinal, o sangue intraterreno tem certo poder... Mas será que isso quer dizer que seu coração finalmente também vai pender para um lado? Boa pergunta.

Novamente, o triângulo amoroso tem certo destaque no enredo. Confesso que eu sou do time do Jeb, mas nesse livro ele quase me tirou do sério, pois, várias vezes, ele se comportou feito um perfeito babaca. Ainda assim torço por ele, pois não suporto o seu concorrente, rs. Morfeu sempre tem uma intenção escondida e tenta manipular Alyssa. Mas uma coisa não posso negar: os dois dariam sua vida por Al sem pensar (ou quase hehe).

O fim do livro me deixou atônita e ansiosa pelo volume seguinte. Espero não me decepcionar, pois depois dos dois primeiros volumes maravilhosos, minha expectativa para o próximo está lá em cima.

A narração está em primeira pessoa, na voz de Alyssa. As páginas e a diagramação seguem o mesmo estilo do volume anterior. E a capa? Novamente linda, linda, linda. Estou encantada. Dessa vez, ela retrata o intaterreno sedutor, Morfeu. No próximo volume, é a vez do Jeb. (suspiro) :)

A série já é uma das minhas favoritas, então é óbvio que eu super recomendo a leitura! 

Beijinhos.


      Gabriele Sachinski
                       
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...