Refletindo sobre o filme: A Culpa é das Estrelas

sábado, 12 de julho de 2014
Olá,

Meu primo Guilherme Bucci é apaixonado por cinema e eu o convidei para escrever uma nova coluna no blog. Para nossa sorte, ele aceitou e seu primeiro texto é sobre o filme A Culpa é das Estrelas.  Leiam <3






Não pensamos muito na nossa juventude enquanto estamos nela, mas isso não é lá muita coisa. Não pensamos em como é estar vivo. Na honra que é estar. Estamos acostumados com isso. Mais que isso: estamos acostumados a ouvir que não pensamos muito na nossa juventude. Pelo menos não até que ela acabe. Aí sim. Começamos a lembrar de tudo. Lembrar-se do que já passou, do que ficou atrás.

Mesmo assim, mesmo que não pensemos agora, sabemos que um dia poderemos pensar. Sentir saudades do que foi e que não é mais... Enfim, Hazel Grace não vai ter essa sorte. 

Não sei se consigo imaginar como deve ter em mente que logo você morrerá. Estar com os dias contados, e não poder fazer nada para reverter isso. Agora imagine ter que pensar nisso com, não sei... 20 anos? Saber que tudo o que você tem são algumas semanas. Semanas para viver, apenas viver. A juventude passa a ser voraz. Feroz. É viver e pronto: você não terá muito mais tempo para fazer isso. 

Mas como prosseguir? De onde tirar forças? Seria justo dar esperança para um futuro tão condenado? Saber que tudo aquilo que um dia você poderia fazer não acontecerá. Pular de paraquedas talvez? Escalar o Monte Everest? Uma pessoa nessas condições tem permissão para sonhar ou amar?

A Culpa é das Estrelas diz que sim. Sonhos não são finitos, o amor não é finito. Nosso corpo é. Nossa carne é. Mas todos sabemos que não é isso que fica. São nossas ações que permanecem, assim como as lembranças que despertamos naqueles que aqui ficam. É o amor que sentimos. E quanto amor esse filme derrama! Não do tipo meloso, maniqueísta, com o qual estamos tão acostumados nas produções hollywoodianas... Mas o amor verdadeiro, carregado de significados, promessas e verdades! E a química entre o casal principal é estupenda!

Sustentado por boas atuações (Shailene Woodley, cada vez se mostrando melhor), tratando o câncer como deve ser tratado e por seu final real e comovente, A Culpa é das Estrelas conta a bela história de um casal cujo único empecilho para ficarem juntos era a própria morte.

Hazel Grace e Augustus fizeram suas próprias memórias, sua história de amor com dias numerados. Mas não poderão olhar pra trás e se lembrar dos bons momentos.  Nós é que nos lembraremos da história deles. Cabe a nós agora fazermos nossa história valer a pena. Não é justo saber que desperdiçamos nosso tempo de vida com bobeiras, quando tomamos consciência daqueles que, tão jovens, se viram privados de algo tão simples quanto viver.


Guilherme Bucci




18 comentários:

  1. Olá
    Tudo bem?
    Adorei a sua reflexão, sua opinião, até me emocionei no ultimo paragrafo só de lembrar o filme, que esta maravilhoso, tanto quanto o livro haha fiquei mt feliz por ter seguido bem o roteiro e tudo mais.
    Adorei o post.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/07/tag-copa-de-livros-2014.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina!
      Realmente o filme está muito bom!

      :)

      Excluir
  2. Oiee.
    Confesso que não li nada, porque ainda não assisti o filme (acredita?!), pois é menina, tudo está conspirando contra e está complicado pra eu ir ver.
    Só posso falar que minha ansiedade está a mil, espero que esteja fiel ao livro, no mais sei que vou me acabar de chorar.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Também não gosto de ler nada antes de ver um filme rs!
      Mas obrigado pelo comentário!

      Excluir
  3. Olá... Muito interessante suas colocações sobre o filme. Já li o livro. E ainda nak assisti... Preciso conferir!
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela parceria Jó e Gui, tenho certeza que sairão muitas idéias boas, e quanto a reflexão, nos faz prestar mais atenção em nossa própria vida, que apesar de tudo que passamos, ela ainda é boa!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Guilherme, tudo bem?

    Assisti ao filme duas vezes e consegui chorar mais na segunda vez que na primeira. Achei lindo e, como sempre, a mensagem ficou perfeita. Apesar de algumas diferenças na adaptação, amei tudo.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Essas diferenças são sempre importantes! É o que faz do filme uma peça de arte distinta daquilo em que ela se baseia.
      :)

      Excluir
  6. Guilherme, texto belíssimo!
    Acho que fiquei mais encantada com o que você escreveu do que o que falou em si sobre o filme.
    Não fui ver. Não tenho estômago para isso no momento. Estou numa vibe onde alguém me chamando de feia será um dilúvio certo.
    Mas na real... Você é um gênio escrevendo, cara. Xonei!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carol!
      Que bom que gostou do texto! Mas assista sim! Filmes como esses, por mais tristes q são, sempre trazem coisas boas!
      bjo

      Excluir
  7. Ai menina dessa vez vou anotar, pois vi muitas blogueiras e post falando do livro e filme e acredita nunca li ele porque só vou lembrar quando vejo falar no assunto novamente hoje anotei kkkk olha tem vídeo "SEU BLOG NO MEU VÍDEO" onde divulguei 11 blogueiras e pretendo fazer isso novamente mais para frente, e tem SORTEIO de um TABLET e make francês, depois desse sorteio vou fazer SORTEIO de uma FILMADORA, meu blog é magrafelizpensa.blogspot.com e meu canal é www.youtube.com/user/marcmarify

    ResponderExcluir
  8. Gostei da sua reflexão! Eu amei o livro, e preciso rever o filme, porque da primeira vez que vi estava tão irritada com algumas pessoas do meu cinema que nem aproveitei direito haha
    xx
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk
      Assista sim Flávia! É sempre bom rever um filme. Vc acaba apreendendo mais coisas que na primeira vez.
      :)

      Excluir
  9. Oi Guilherme, tudo bem?
    Eu adorei a sua coluna, eu vi o filme e amei, também li o livro e é claro que virei vã do John, adorei a sua reflexão e uma coisa é certa podemos levar umas coisas desse filme para a nossa vida, vivemos reclamando, disso e daquilo, mas tem gente que não tem nem metade do que temos, mas procura ser feliz, e perder alguém não é fácil, mas devemos ser fortes e fazer das lembranças a nossa força O.K.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Guilherme!
    Quero muito ver esse filme,´só estou esperando mais um tempo... a sua narrativa me fez recordar uma história da vida real que se passou e continua viva em nosso coração. Foi exatamente que a Jessica (In memoria) fez, viveu..., teve seus sonhos, alguns realizados... e por fim conheceu seu amor verdadeiro. Para sempre vamos lembrar dessa linda história. Parabéns, você me emocionou!. Amor Eterno Jessica.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog.
Deixe seu link para que eu possa retribuir.
Obrigada e volte sempre :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...