Resenha do livro: O Advogado da Vida de Jean Postai

quinta-feira, 27 de junho de 2013




                Editora Novo Século/Novos talentos da literatura nacional
                Literatura nacional/Thriller jurídico
                Número de páginas: 416

Sinopse: Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.


Aborto........Assunto polêmico, né? E o livro O Advogado da Vida trata exatamente desse assunto de uma forma interessante e muito bem colocada. O livro tem como característica o thriller jurídico, aquele em que a história é contada na maioria do tempo em um tribunal tento como pano de funo um determinado julgamento. Confesso que acho muito interessante esse tipo de livro e o Jean não ficou atrás dos grandes escritores desse estilo, já que ele próprio é advogado e deixou o livro bem real.

A história é a seguinte: O médico renomado e o queridinho das pessoas ricas  Arthur Galanidel cai numa armadilha de repórteres e confessa que realiza o aborto em mulheres que querem tomar essa atitude e que não correm o risco de morte e nem o bebê. Ele diz que faz isso por ideologia e que o Estado não deve interferir na vontade da mulher.  Além disso, a menor de idade Amanda o denuncia para o Ministério Público por tê-la supostamente induzido a abortar, mas no decorrer da trama vamos perceber que não foi isso exatamente que aconteceu.


"Aquele caso estava se tornando uma responsabilidade que David jamais imaginara ter sobre os ombros." pág 140

Essa reportagem cai como uma bomba na impressa e não se fala em outra coisa na cidade. Arthur chama seu sobrinho que não o via a muito tempo, David, um jovem recém-advogado para defendê-lo. David tem seu pequeno escritório de advocacia com o estagiário Teo e a secretária Elaine. David no começo reluta um pouco mas aceita ser o advogado de seu tio, já que essa é a oportunidade de sua vida.

O caso é difícil e complicado para David, já que mexe com um assunto polêmico e com opiniões diversas da população (até dele próprio) porque de acordo com a lei, o aborto só é aceito nos casos em que a mãe ou a criança correm perigo de vida ou se foi gerada através de estupro. Devido a exposição que ele sofre com a mídia, David sofre atentados psicológico e risco de vida, o que deixa sua noiva Joana super preocupada e nervosa com a situação.

No decorrer da história, vamos conhecendo melhor as leis sobre esse assunto, entendendo os motivos do Arthur de realizar os abortos e as diversas opiniões existentes. O livro não tem a intenção de fazer com que sejamos favoráveis ou desfavoráveis ao aborto, mas mostra os dois lados. A promotora de acusação, Morgana, usará até de artifícios ilegais para tentar ganhar o caso, já que a exposição e a importância do caso é enorme.


"Enquanto ouvia música, o advogado procurava cada vez mais deixar de pensar no que estava prestes a fazer, pois, caso fosse muito racional, sabia que simplesmente acabaria não o fazendo" pág 201

David na busca pela defesa de Arthur vai encontrar Matias, um velho amigo do médico e Patrick, o antigo antigo funcionário que serão importantes para a defesa do caso. Matis leva David a uma clínica de aborto clandestina (essa parte é bem chocante) e assim ele vai juntando provas para o juri final, onde 7 leigos decidirão o futuro do médico.

O julgamento é incrível, já que nos sentimos lá e podemos conhecer todos os detalhes de um julgamento. David apesar de sua inexperiência, se esforça ao máximo para tentar encontrar argumentos favoráveis ao seu cliente e pelo menos abrandar sua pena porque é uma causa praticamente perdida. O grande júri é a parte essencial do livro onde tanto Morgana como David fazem a exposição de suas provas e onde tem os relatos das testemunhas de acusação e defesa. Parece que estamos mesmo em um tribunal participando da julgamento. 

O final foi muito coerente e concordei com o que ocorrei. O livro me fez refletir bastante sobre o tema e como eu tenho uma opinião formada sobre isso (concordo com a lei brasileira, mas não quer dizer que eu esteja certa) e recomendo para quem quer conhecer mais sobre esse assunto de uma forma interessante e que entretêm.

A narrativa está em terceira pessoa, o que deixou o livro imparcial e vemos os diferentes pontos de vista sobre o assunto. A capa está super criativa com Têmis, a deusa da justiça, grávida, o que combinou perfeitamente com o tema do livro. Adorei demais. A diagramação é simples e as folhas são amareladas. 

Gostei muitíssimo do livro e recomendo!!!

22 comentários:

  1. Olá Joyce,

    Não conhecia o livro e apesar da sua recomendação não sei se leria, não gostei da capa também...parabéns pelo blog...seguindo...abraços.



    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
  2. Olá Joyce ,
    O título do livro definitivamente não é muito atrativo , pelo menos para mim. Mas em compensação a história parece ser fantastica , e eu definitivamente amei sua resenha (:
    Quero ler em breve com certeza

    Beijos , Anna

    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anna,
      A história é ótima.
      Obrigada querida
      bjs

      Excluir
  3. Não conhecia esse livro
    Mas não é o tipo de leitura que me chama atenção

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi! Adorei sua resenha, e o livro me interessou muito.
    Adorei seu blog, já estou seguindo! *---*

    http://www.compulsivoporlivros.blogspot.com.br/

    Abraços!^^

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha! Fiquei com vontade de ler o livro...
    Depois passa no meu blog? ;)

    Abraços, Beatriz
    http://seisminutosemparis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Amei a resenha, mas não me interesso por livros que tratam de coisas tão... seilá, reais kkkk, beijo!!!

    http://tudeumpoucomais.blogspot.com.br/ (comenta pra mim :D )

    ResponderExcluir
  7. nossa, Joyce, polêmico é pouco!!! Eu também já tenho uma opinião formada sobre o assunto, e acho que esse seria realmente um bom livro para se refletir.
    ótima dica!
    bjus
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nunca li mas parece ótimo! Adorei a resenha, ficou perfeita.
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  9. A capa é bem chamativa mesmo, eu gostei. O livro está na minha lista de espera, realmente é um assunto polêmico e eu estou mega curiosa para ler a história toda. parabéns pela resenha amiga, adorei.

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Joyce, eu não imaginava que o livro fosse tão bom!! Ai, fiquei super na vonatde de ler!!!
    Beijocas
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Confesso que não conhecia esse livro e nem o autor. A capa passa a impressão de ser um livro dirigido só para advogados, então não é uma capa muito bacana.
    Gostei muito da sua resenha, mas esse livro não me chamou a atenção o suficente para ler.

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog.
Deixe seu link para que eu possa retribuir.
Obrigada e volte sempre :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...