Resenha do livro: Os Judeus do Papa de Gordon Thomas

quarta-feira, 14 de maio de 2014




                      Título original: The Pope´s jews
                      Geração Editorial
                      Literatura estrangeira/Histórico
                      Número de páginas: 384


Sinopse: A II Guerra Mundial eclodiu na Europa. O exército nazista avan­ça pelo continente anexando e massacrando, deixando o rastro de sangue que marcou o século XX. No Vaticano, o papa Pio XII observa os horrores dos combates e tem que definir a posi­ção da Igreja perante o mundo. Mas ele não declara repúdio a Hitler nem se coloca ao lado dos Aliados — simplesmente silencia e a História lhe confere o título de papa omisso. Por trás do silêncio havia um segredo agora revelado por documentos ofi­ciais secretos. Pio XII organizou uma ampla rede de ajuda humanitária para os judeus de toda a Europa. Sob orientação dele, padres e freiras arriscaram a vida fornecendo abrigo nos mosteiros e conventos a milhares de judeus. Pio XII doou ouro do próprio Vaticano para ajudar os judeus romanos e es­condeu milhares deles em sua residência de verão, enquanto Roma era ocupa­da e bombardeada pelos alemães. Os judeus do papa é um dos melhores livros históricos já escritos. Baseado em uma rica pesquisa documental, é uma obra indispensável aos leitores que querem entender o que realmente aconteceu em Roma sob a liderança do injustiçado papa Pio XII.

Eu sou apaixonada por livros históricos e "Os Judeus do Papa" cumpriu seu papel com maestria porque mesmo falando sobre o Holocausto (que pode ficar repetitivo devido há quantidade de livros e filmes existentes sobre o tema), soube aproveitar um ponto pouco explorado e até mesmo desconhecido: a ajuda do vaticano para salvar os judeus.

Segunda Guerra Mundial e Holocausto são assuntos que me sensibilizam e sempre que posso, faço leituras, vejo filmes e documentários, pois acho importante conhecermos esse lado negro da história para que ele não se repita. O livro nos transporta para junto do Papa Pio XII e da Itália em época de guerra. Também acompanhamos a vida no Gueto dos judeus de Roma e como os nazistas foram cruéis.

"Os Judeus do Papa" é um livro que aborda como o Vaticano criou uma rede de proteção para os judeus com esconderijos em mosteiros, conventos, dentro dos muros do vaticano e na residência de verão do Papa, além de obter documentos falsos para que pudessem viajar para outros países. Além dos judeus, foram ajudados os aliados prisioneiros de guerra.

O Papa Pio XII é conhecido como o Papa complacente de Hitler e dos nazistas, por não os ter repudiado publicamente e nem ter declarado em qual lado da guerra estava. Porém, depois de ser revelados documentos secretos, descobriu-se que é mentira, pois Pio XII junto com membros católicos conseguiram armar um esquema de ajuda ao judeus de toda a Europa. Milhares de judeus conseguiram fugir da perseguição nazista e se salvaram.

Quando Roma começa a ser bombardeada e invadida pelos alemães, os judeus, principalmente, os que moravam no gueto viraram alvo para os campos de concentrações e morte. Para se protegerem, foram criados grupos de resistência que muitos habitantes participavam. A tensão da guerra estava por todos os lados. Também acompanhamos como o hospital judaico conseguiu esconder judeus com a criação de uma doença contagiosa inexistente e como a Gestapo contratou gangues de criminosos romanos para caçar judeus.

Existe muitos personagens envolvidos durante o livro e para ajudar, há uma lista dos principais com nome e sua função. Isso é ótimo para não se perder na leitura. Dentre eles, os que se destacaram foram: Irmã pascalina, confidente e governanta do Papa; Ugo Foa, presidente da comunidade judaica de Roma; Israel Zolli, rabino-mor de Roma; Herbert Kappler, chefe da Gestapo em Roma; Celeste Di Porto, judia e chefe dos panteras negras que caçaram judeus; e Monsenhor O´Flaherty, membro do Santo Ofício.

É maravilhoso saber que os judeus tiveram alguma chance de fugirem dos nazistas e que o Papa com sua influência mundial de líder da Igreja Católica, conseguiu construir uma rede humanitária que salvou milhares de vidas e, além de tudo, escondido dos alemães e do mundo. As guerras são manchas negras na história.

A narrativa está em terceira pessoa e nela conhecemos melhor Eugenio Pacelli, o Papa Pio XII, e sua rede de contatos tanto dentro da Igreja quanto fora dela. As pessoas que contribuíram para que a ação desse certo eram corajosas, pois quando eram descobertas, simplesmente eram mortas pelos nazistas. É triste saber que a maldade e o desdém com o próximo está presente desde sempre e que houve muitas compactuações com Hitler para exterminar os judeus. 

A capa está linda com a moldura e os títulos em dourado brilhante e a foto montagem está fantástica. A diagramação está simples, mas tem iluminuras, fotos em preto e branco em um encarte no meio do livro e as páginas são brancas. No final do livro, tem uma extensa bibliografia e uma explicação sobre a fonte de pesquisa, mostrando que houve uma gigantesca pesquisa para a criação do livro. Sempre que leio sobre esse assunto fico chocada e triste, mas alivia saber que existem pessoas boas e que fazem o bem sem olhar a quem.

Recomendado para os amantes de livros históricos e para quem quer se aprofundar mais sobre a Segunda Guerra Mundial e sobre o Holocausto. Adorei!!!

22 comentários:

  1. Oie,
    não conhecia o livro, mas achei bem interessante, mas confesso que não é muito meu estilo de leitura, então não sei se leria no momento

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Apesar de achar a proposta de "Os Judeus de Papa de Gordon", válida, já que podemos conhecer uma parte desconhecida da história, eu confesso que não gosto muito de livros desse gênero, então provavelmente não leria o livro.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Assim, o livro é bem interessante, pra quem gosta. Eu que não sou nem um pouco interessada nesses fatos históricos não consigo nem terminar de ler um livro dele, é um tédio, rs. Estou sendo bem sincera, rs.

    ResponderExcluir
  4. Olá Joyce,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, gostei muito e achei bem interessante, gosto de livros história, faz meu estilo também.....ótima dica....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não curto muito esse gênero, mas me parece ser um livro bem interessante.
    Resenha #147 - Entre O Agora e O Sempre - Entre O Agora e O Nunca - Livro 02 - J.A. Redmerski.
    Confere lá!
    http://manuscritodecabeceira.blogspot.com.br
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Já queria ler, inclusive estou com ele na lista.
    Amo história e essa época da Segunda Guerra então, é uma paixão a parte.
    Fiquei mais curiosa ainda com a resenha, confesso que nem sabia sobre o fato!
    Beijããão, flor!

    www.cloudsandfantasy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Uau! Adorei, eu amo livros históricos, mas ultimamente tenho lido tão pouco desse gênero.
    Gostei muuuuito da sinopse e da resenha...
    Sempre que leio livros sobre II Guerra, Holocausto, etc, fico chocada, pq parece q sempre pode se tornar uma história pior, por isso estou lendo tão pouco desse estilo
    Por isso adorei essa, por ser justamente o contrário!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa,
      Eu amo livro histórico <3
      Eu também fico :/
      Leia!
      bjs

      Excluir
  8. Oi, eu confesso que não tinha interesse em ler esse livro, mas pelo visto ele é muito bom, gosto muito de historia, apesar de que nunca fui uma das melhores alunas hihihi, adoro informações e livros que nos ensinam coisas da vida, coisas reais que realmente aconteceram sempre é bem vindo na minha opinião, amei a sua resenha e esse livro já esta na minha lista.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila,
      Ele é ótimo, mas tem que gostar do gênero.
      São sempre bem-vindos!
      Obrigada
      bjs

      Excluir
  9. Não é meu tipo de leitura
    Não me instigou esse livro a ler
    deixo pra próxima

    ResponderExcluir
  10. Eu não estava dando nada pelo livro, mas lendo a sua resenha puder perceber que é justamente o tipo de leitura que me atrai bastante!!

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. oi Joyce, tudo bem?
    Não curto muito livros históricos, mas sempre gostei de ver filmes e documentários sobre a segunda guerra mundial. Eu não sabia dessa importância e atuação da Igreja Católica, e fico feliz que tenha sido assim.
    ótima dica, acho que esse é um livro que eu faria uma exceção e leria.

    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu sou apaixonada por historia e imagino o quao forte deve ser essa historia sobre Segunda guerra... tenho nojo qndo penso no qnto maltrataram os judeus e amarei saber como a igreja se entrometeu no assunto para tentar ajudar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jack,
      Eu também sou <3
      É mesmo revoltante.
      bjs

      Excluir
  13. Sofro tanto com documentários, filmes e livros sobre o holocausto.
    Muita tristeza foi espalhada naquela época.

    ResponderExcluir
  14. Interessante, adoro livros sobre a Segunda Guerra. Sempre havia lido que a Igreja não se opôs ao nazismo porque os judeus ameaçavam a soberania da igreja católica, mas essa revelação certamente muda tudo! Vou adicionar na lista para ler! Mto bacana a resenha!

    CarinaPilar.com | Meus Livros e Minhas Histórias

    ResponderExcluir
  15. Não gosto muito de livros históricos, por isso não leria.

    ResponderExcluir
  16. Eu até que leria, mas teria que ter muita curiosidade pra ler. Claramente o livro foi feito para quem manja do assunto, deve ter todos aquela formalidade na escrita que cansa o leitor que busca uma leitura mais dinamica.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o blog.
Deixe seu link para que eu possa retribuir.
Obrigada e volte sempre :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...